30 de mar de 2009

No trãnsito


Estou no trânsito, indo para o trabalho. Tudo parado. O que me distrai é o rádio e os pensamentos que se afloram sobre um novo projeto. Há muito deixei de impacientar-me com os congestionamentos. Tenho sempre em meu carro, um bloco de papel e uma caneta, pois na última hipótese, se não tiver nada de interessante para ouvir ou nada de novo para pensar, resta-me fazer algo que gosto muito: escrever.

Na falta de um assunto, já aprendi. Basta escolher uma palavra qualquer, que, ao ser colocada no papel, recebe uma fecundação qualquer e começa a reproduzir-se automaticamente. Minha mão apenas obedece ao comando.

Acabei de pegar meu bloco e minha caneta, mas eis que olho para frente e vejo uma cena que me faz mudar o assunto sobre o qual ia escrever. É algo que, apesar de não mais me deixar indignada, haja vista a frequência com que acontece, ainda incomoda-me muito. O rapaz do carro da frente (chapa BNU-0570) acaba de jogar um lixo pela janela.

Por mais que a cidade esteja suja, não tenho coragem de colaborar para que fique um pouco mais. Perdoe-me quem me ensinou que não devo julgar os outros por mim, mas, não isso não dá para aceitar numa boa, não. Sou obrigada a aceitar por ser um fato consumado, mas a vontade que sinto é de sair do meu carro, ir até lá, catar o lixo e jogar dentro do carro do fulano de novo. Confesso que só não o faço por covardia. Tenho medo de apanhar. Afinal, está tão na moda agora o homem querer medir força com mulher (como se não soubéssemos que eles são mais fortes fisicamente).

Fico imaginando o que leva uma pessoa a ter uma atitude dessa com tanta naturalidade. Se fosse uma criança, eu até poderia entender. Poder ser que ainda não tenha dado tempo dos pais ensinarem, mas um adulto...

Bem, o trânsito já está fluindo e sei que daqui a pouco já terei esquecido o incidente. Huuumm... mas sobre o que eu ia escrever mesmo? ... Ah! Sei lá.

Sueli Benko

11 comentários:

Ana Luiza F. disse...

Amore!!!! Aqui também se vê atitudes assim. Se vê as senhoras levarem os cachorrinhos pra passear e não limparem os dejetos. Questão de cultura, eu penso. Ou, de educação. Ou... as duas coisas. Deixei recado no orkut. Chego na sexta. Huhuhuhuuuuuu!!! Bjão.

RICARDO BLAUTH disse...

ALO SUELI

IAS ESCREVER
SOBRE ENERGIAS
QUE FLUEM
E NOS FAZEM MELHOR

IAS ESCREVER SOBRE
SOBRE SABEDORIA
APESAR DOS
BNU 0570

ESCRESTE ENTÃO TUA INDIGNAÇÃO
QUE É A DE TODOS
QUE QUEREM ALGO MELHOR
QUE OS BNV 0570 NÃO TEM

Majoli disse...

Querida, com certeza mesmo morando aqui no interior vivencio cenas como essa descrita por você, e é mesmo revoltante.
Agora, o que será que ia fluir de seus pensamentos e ia parar no papel se não presenciasse tal cena?
Hummm, com certeza algo muito lindo como tudo que você nos presenteia sempre aqui nesse lugarzinho tão gostoso que eu adoro vir.
Beijão amiga.

meus instantes e momentos disse...

gosto do teu blog, é bom voltar aqui.
Maurizio

Cris disse...

"...E assim, nascem grandes textos como este, Sueli! Simples e na medida exata. Um beijo grande, minha linda!

Paula disse...

O problema da poluição é grande. Tenho um cachorrinho e sempre que saoi com ele pra passear levo saquinhos para recolher "o que ele fizer" na rua, mas a maioria não faz isso e a rua fica imunda.
Bjos,
Paulinha

claudete disse...

Cara Su, sempre causa-me indignação este tipo de atitude, pior é que vem de todas as camada sociais, tem gente que tem o desplante de dizer que: " jogo lixo na rua, porque senão o pobre do gari fica sem emprego"; acredita nisto? O importante é que não mudemos nossa consciência talvez não possamos consertar o mundo mas poderemos fazer a diferença.Bjs

Juliêta Barbosa disse...

Sueli,

O que você escreveu é, também, a indignação de todos nós. Parabéns!

Eduardo P.L disse...

Bom post, Sueli!

Anda sumida!

Cuidado, um dia desses você será minha Vítma da Quinta!

Não perde por esperar!

Bjs

ZezinhoMota disse...

Realmente Sueli, é deveras incrivel que hajam pessoas que façam do seu mundo (e dos outros)um lixo...

Pergunto!!??

Se eles fazem assim quando existem pessoas a verem!

O que farão nas casas deles?

A minha ausência prende-se por ter menos tempo...

Mas não me esqueço de vocês e aqui estou a demonstrá-lo.

Feliz fim de semana.

Bjnhs do Porto-Portugal

do ZezinhoMota

JuJu disse...

Eita! Bloquinho de notas e uma caneta são tão úteis a quem gosta de escrever... Se bem que tudo que consegui colocar em um hoje a tarde foi que "estou com um bloco de papel, uma caneta, um copo de Coca-cola e nenhuma ideia na cabeça".
E esses caras que gostam de jogar seu lixinho na rua, hein... Tão porquinhos, não?
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!