9 de mar de 2009

Ansiedade & BSP


Às vezes, pergunto-me por que inventamos tantas guerras contra nós mesmos. Certo estava quem afirmou que nosso maior inimigo está dentro de nós. Queremos sempre encontrar um culpado para nossas dores, nossas decepções, nossos fracassos, mas, se pararmos para pensar, os únicos causadores de tudo isso são certos sentimentos que insistimos em cultivar.

Desde que uma mestra ensinou-me que todos os nossos sofrimentos (sem exceção) tinham sua origem em algum dos quatro medos principais (medo de perder, medo de enfrentar, medo do abandono e medo de morrer), a cada dor que surge, procuro sua origem em alguma dessas nascentes. Descobri que o segredo não está em eliminar a dor, mas sim, em eliminar o medo.

Mas... como acabar com um medo? É muito difícil, não é? Sim, é. E como é! Mas a boa notícia é que é possível.

Só que é preciso acreditar nessa possibilidade. Muitas vezes, para se conseguir essa façanha, é até necessário alterarmos alguns conceitos e convicções. Sei que para algumas pessoas isso também é muito difícil, mas, que tal abrir a cabeça para conhecer o novo e refletir um pouco sobre “coerência” ou sobre “quem inventou isso que aprendi”?

Um exemplo: o medo de enfrentar (convicção errônea: derrota = fracasso).

Por que o medo de enfrentar? É óbvio que o medo está focado no resultado. E no resultado de algo que ainda não aconteceu (futuro), ou seja, “medo do que não existe”. Conclui-se que ansiedade é a pretensão de querer adivinhar. É um dos sentimentos mais inúteis que podem existir.

Como podemos trabalhar isso? Usando o poder do mais santo remédio: o auto amor.

O auto amor tem um ingrediente que apelidei de BSP (Bancar a Si Próprio).

BSP nos ensina a sempre ficarmos ao nosso próprio lado, nunca nos condenarmos, nunca nos desacatarmos, nunca nos arrependermos, nunca nos criticarmos, nunca nos abandonarmos, nunca aceitarmos permanecer caídos, se impossível for impedirmos uma queda.

Diante de uma situação crítica, se eu me perguntar: “O que de PIOR pode me acontecer (mas o PIOR mesmo)? Ao obter a resposta, pergunto-me: “Se esse PIOR acontecer, o que farei por mim? Como eu me tratarei? Onde me colocarei? Será que, se o pior acontecer, serei capaz de encarar esse pior como um aprendizado e não como uma derrota? Serei capaz de acreditar que precisei daquilo para me fortalecer? Serei capaz de aceitar que a derrota somente está na cabeça de quem quer encará-la como um “fim”? Serei capaz de olhar para dentro de mim, erguer a cabeça e dizer-me: “Vem, vamos seguir em frente; mais um passo dado, mais uma lição aprendida. A coisa aconteceu, já passou, mas eu estou aqui – comigo! Eu, comigo, sempre!”

É bom acreditar que a vida é bela e que o sucesso pode não estar onde o enxergamos, que as alucinações que temos podem nos atrapalhar muito se não entendermos que são falsas. Às vezes, a vitória está, não no encerramento de um caso, mas na certeza de termos aprendido o que fazer com ele e de termos extraído dele aquilo que deveria ter sido nosso principal objetivo: termos conseguido aprender o BSP, pois o dia que tivermos nos diplomado nesse quesito, jamais a ansiedade encontrará o caminho para chegar até nós.

Quem escreve isto é alguém que ouviu, refletiu, assimilou, praticou e conseguiu. Minha prática foi adquirida ao enfrentar o medo de perder. Sei que tem alguém aqui que está precisando urgente aprender a perder o medo de enfrentar (deu até um trocadilho aqui... rs). A essa pessoa eu digo: o método é o mesmo. Ninguém precisa ser infalível, ninguém precisa ser perfeito, ninguém precisa ganhar todas. Todos têm o direito de se esquecer, todos têm o direito de errar, todos têm o direito de perder e, principalmente, todos têm o direito de “recomeçar”.
Se o “PIOR” acontecer, você terá uma das maiores vitórias de sua vida se conseguir BSP (Bancar a Si Própria)!!!

(O resto, será apenas ... o resto)

Sueli Benko

14 comentários:

Trem de Tudo - Coisas de Mineira disse...

Perfeito, amiga!
Começar a semana com esse 'fôlego', valha-me Deus! só você, minha amiga e mestra... só você!
Se o pior é conseguir BSP... o pior é o melhor que teremos ofertado a nós (lindo... tremendo gás!).
Te amo por tudo isso! Gratíssima. bjs

Aninha disse...

Nossa que puxão de orelha potente... rsrs...
Mais uma vez você está certíssima. Todos os medos são decorrentes da falta de BSP. Estou refletindo tudo o que acabei de ler... Em breve mando um e-mail pra que possamos conversar mais.
Guardarei comigo essas palavras “Ninguém precisa ser infalível, ninguém precisa ser perfeito, ninguém precisa ganhar todas. Todos têm o direito de se esquecer, todos têm o direito de errar, todos têm o direito de perder e, principalmente, todos têm o direito de “recomeçar”.”

Te amo!
Beijo grandão e obrigada pelas palavras sábias.

maria claudete disse...

Su, repetindo, perfeito o texto mais ainda as suas inserções ditadas pelas experiências vividas. Sabe , amiga, o medo não é coisa de Deus! por todas as razões aqui explicitadas por você.Nós católicos costumamos rezar diariamente o Salmo 90, por sua beleza e penetrando no âmago do que quer nos dizer , aplicado ao linguajar corriqueiro e dentro da optica da Psicologia , está impregnado da força que devemos buscar para crescer e materializar a projeção mental daquilo que queremos ser, ou seja "bancar a sí própria". Este seu post é uma verdadeira pérola de ensejo a reflexão para todos nós. Um beijão.

Bill Falcão disse...

Um post altamente didático, Su! Que eu leio num momento em que realmente preciso. Um momento de "ser obrigado" a fazer mudanças, mas não saber por onde começar.
Assim, vou copiar e guardar pra ler de vez em quando.
E tentar, claro, seguir seu exemplo. Pois deu certo com você!
Bjoooooooooooooooo!!!!!!!!!!!

maria claudete disse...

Minha linda tem selinho pra você lá no Blog. Beijos, Clau

LELLA disse...

Muito bom o texto!

Eu tenho que perder o medo de que vou dar trabalho a outras pessoas. Já que mesmo com a cadeira de rodas eu ganhei uma vida nova - em poder sair mais do meu quarto -, eu terei que contar com a boa vontade das pessoas em algumas, muitas, situações. Mas chego lá!

Beijão,

Eduardo P.L disse...

Sueli,

seu DESEJO será realizado. Obrigado por postar sua FOTO no PERFIL. Agora espero que participe dia 15 da TERTULIA VIRTUAL, cujo tema do mês é O DESEJO!
Cuidado, você AGORA poderá ser uma VÍTIMA DA QUINTA, sim senhora!

Bjs

Kall disse...

Su é incrivel como o mundo conspira a favor não rs
Ando sumida de blogs e hoje algo me chamou p vir te ler e olha...sem palavras...so reumo p vc..to em tratamento p ansiedade e perca de peso...preciso dizer que valeu?? rs
Vou tentar ao maximo mudar o MEU ERRO.
um beijo imenso e obrigada por compartilhar algo tão valioso assim.

Majoli disse...

Sueli, minha amiga, uma vez comentei em um post seu, que viria sempre reler quando estivesse me sentindo meio perdida, e assim o fiz várias vezes.
Esse é mais um post que faço questão de ler, ler, ler e aos poucos absorver cada palavra, cada sentido de tudo que aqui colocastes.
Você é uma pessoa que me passa algo de "Fortaleza", de "Luta" e de "Exemplo".
Ah, amei o BSP.
Beijos e obrigada por me passar tanta coisa necessária pro meu caminhar.

Patricia Alessandra disse...

Oi amiga, algumas coisas já ouvi vc dizer, mas não conhecia o BPS tb...rsrsrs. Só as suas explicações são um grande aprendizado. É sempre bom vir aqui e estar com vc! Bjs, Pati

Sabrina Davanzo disse...

Ei, Sueli! Vi seu blog no varal.. achei mto legal! Adorei!

Bejim!

Sabrina Davanzo disse...

Ei, Sueli! Que bom que gostou do meu blog e obrigada por me linkar!
Quanto ao "varal"é que seu perfil apareceu no blog Varal de idéias.. e foi lá que te vi! :)

Aqui o link: http://cimitan.blogspot.com/2009/03/foto-do-perfil_12.html

Bjim!

Maria disse...

Vida(...),
não para de passar.
enorme loucura,
festivais sujeitos a serem reais.

Antônio J. Xavier disse...

Já perdi muito bancando a mim mesmo.
Mas gosto de imaginar que seja um investimento, não um gasto.
E gostei muito da reflexão sobre o medo.
Algo que sempre foi natural em mim é o instinto de luta... desde cedo aprendi que perder, mas lutar, é muito mais digno que fugir a luta.
bjinhos minha querida amiga!