1 de jun de 2009

Ser normal


Ser normal é seguir a maioria?

Sempre me considerei uma pessoa normal. Acho que até por nunca ter parado para pensar no assunto. Mas, outro dia recebi uma mensagem por e-mail cujo título era “Normal é ser feliz”. Começava dizendo que muitas pessoas tentavam se adaptar a coisas que não as faziam felizes só porque aquilo seria o dito chamado “normal” e com isso sequer permitindo uma chance àquilo que o coração pede.

E é verdade, faço isso sempre. É aí, penso, que entram os dogmas também, sobre os quais falou hoje meu amigo Ricardo Blauth em seu post. Se pudéssemos pensar seriamente no sentido de cada uma das nossas atitudes, talvez deixássemos de fazer tanta coisa, ou, por outro lado, quantas coisas inéditas viríamos a fazer...

Para a nossa sociedade, ser normal é encaixar-se na maioria. É fazer o que os outros fazem; e o pior é que a gente acaba se acostumando e, com o tempo, faz até sem perceber. Tudo é tão de fora para dentro, que quanto mais o tempo passa, mais estranhos vamos ficando para nós mesmos.

Quem pode garantir que conhece a si próprio, nos mínimos detalhes? Quem já parou para tentar ouvir os verdadeiros anseios de sua alma? Será que combinam com o que nossa sociedade nos obriga a ser?

Descobri que muita coisa não tem nada a ver com nada ... Faço apenas por costume o que alguém, não sei quem, um dia disse que era para ser assim. Estou repensando minhas atitudes, ouvindo mais a voz que vem lá do fundo... de dentro de mim. Na verdade, acho que estou cansada de ser normal.

12 comentários:

Ariana disse...

Na verdade somos tão normais que não paramos pra questionar as coisas. Quando temos um desejo, uma vontade diferente, aí, sim, paramos e começamos a nos perguntar se aquilo é normal. Somos tão iguais que quando diferimos em atitude ou vontade, achamo-nos estranhos. Adorei o teu texto e concordo com ele. Ótima reflexão.

Beijos!

RICARDO BLAUTH disse...

alo querida AMIGA SUELI

Bem vinda ao clube AMIGA. Vamos dar “cambalhotas” sempre que sentir vontade, vamos dizer a quem merece que ela é uma pessoa legal, vamos contar pra nós mesmos que queremos ir em frente e SER NATURAL cada vez mais. Todos os dias. Vamos parar por mais um segundo para ver alguém rindo, observar alguém admirando uma flor, alguém ouvindo o silencio. Vamos, sendo NATURAIS mudar o jeito que nos vêem. Vamos, se isto é possível, cada vez ser mais AMIGOS.

bjs

RICARDO garopaba BLAUTH

medeiros.paulo.zip.net disse...

É isso aí Sueli. Chuta o pau da barraca e vive como a tua alma grita que tu vivas. Eu já chutei a muito tempo e sou visto como um ser anormal, mas não estou nem aí. Essa passagem por aqui é muito fugaz pra se amarrar a tantos conceitos.
Beijos!

Su disse...

Engraçado... nunca me achei normal!!!!! kkkkkkkkkkk

Querida, seu blog é um mimo.... fiquei aqui lendo...lendo... e qdo percebi ja estava aqui a um tempão!!!!
Voltarei mais vezes!!!!!
Vai me visitar tbm!!!!!!!!
Gde bjo!

Juliêta Barbosa disse...

Sueli,

Li o livro "Vivendo, Amando e Aprendendo" de Leo Buscaglia. Nele, o autor diz: não deixe as pessoas caminharem sobre a sua cabeça, com os pés sujos. Desde então, persigo a liberdade de ser eu mesma.O seu texto, hoje, avivou a minha lembrança. Obrigada.

Bill Falcão disse...

São ótimas reflexões, Su! O problema é a gente saber quando segue os dogmas ou age por conta própria. Isso sempre me encucou!
Bjooooooo!!!!!!!!!!!!

claudete disse...

Suuuuuuuuuuuuuuuu !!!! vale continuar procurando SER, o que e para quem ou para que é a constante sem variantes que perseguimos durante toda nossa trajetória.Muito pertinente sua reflexão , num mundinho regido por convenções feitas não sei por quem que escamoteiam a liberdade da individualidade. Beijão. Clau

Handrik disse...

Sueli, pois é, infelizmente desde sempre foi assim. Desde nossa infância somos condicionados a fazer o que a maioria faz, é assim que a nossa essencia vai se esvaindo e quando menos nos damos conta, viramos seres sem alma,não conseguimos nos reconhecer diante de um espelho. De vez emq uando é bom a gente fazer aquilo que temos vontade e ligar ol botão do "to nem aí" para a sociedade. Ser normal, na verdade, é ser feliz.

Beta de Santana disse...

Olá Sueli!
Acredito que ser normal é seguirmos o nosso jeito de ser,pois a partir do momento que tentamos imitar alguém deixamos de ser normais!!
Que seu dia seja lindo, paz e luz.
Beijokas, beta de Santana

medeirros.paulo.zip.net disse...

bom fim de semana!
Beijos!

Maria Eugênia disse...

Sú, faça como eu... não seja normal, não siga a maioria, não faça coisas pra agradar ninguém, não aceitei críticas desnecessárias, não deixe que ninguém mude a sua essência.

A única forma de ser feliz é ser natural e autêntico...
;)

JuJu disse...

Quer saber? O normal não existe! É apenas uma invenção de uma sociedade hipócrita e que só vive de aparências!
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!