21 de jun de 2009

Ser feliz

Recebi uma mensagem por e-mail, da qual retirei um trecho e coloco logo abaixo, porque acho que merece uma reflexão...

Durante um seminário para casais, perguntaram à esposa:- seu marido lhe faz feliz?- ele lhe faz feliz de verdade?

Neste momento, o marido levantou seu pescoço, demonstrando segurança. Ele sabia que sua esposa diria que sim, pois ela jamais havia reclamado de algo durante o casamento.

Todavia, sua esposa lhe respondeu com um "Não", bem redondo... - Não, meu marido não me faz feliz.
Neste momento, o marido já procurava a porta de saída mais próxima...

- Ele não me "faz" feliz... Eu "sou" feliz. O fato de eu ser feliz ou não, não depende dele e sim de mim. E continuou dizendo:- Eu sou a única pessoa da qual depende a minha felicidade. Eu determino ser feliz em cada situação e em cada momento da minha vida; pois se a minha felicidade dependesse de alguma pessoa, coisa ou circunstância, sobre a face da terra, eu estaria com sérios problemas.

Tudo o que existe nesta vida muda frequentemente... O ser humano, as riquezas, meu corpo, o clima, meu chefe, os prazeres, etc. E assim poderia citar uma lista interminável. Às demais coisas eu chamo "experiências"; esqueço-me das experiências passageiras e vivo as que são eternas: amar, perdoar, ajudar, compreender, aceitar, consolar...
(autor desconhecido, mas gostaria muito de conhecer)
...
A mensagem continua, mas o principal está aí.
Quantos de nós colocam sua felicidade em mãos alheias?
Quantos outros aceitam a responsabilidade pela felicidade do outro?
Acho que a resposta vale por um outro post, mas, por enquanto, vale a pena pensar no assunto ...apenas.
...

11 comentários:

ricardo blauth disse...

alo AMIGA Sueli

como sempre trazes um assunto que poucos tem coragem de falar pois dogmas e ritos impuseram a um a felicidade de outro.

ser feliz e não ter que....

felicidade respeitando individualidades

bjs

RICARDO garopaba BLAUTH

Majoli disse...

Minha querida, seu post de hoje vem de encontro a tantas palavras divididas por nós um certo dia no msn, não é mesmo?
E é com alegria que te digo que estou me fazendo feliz, por mim mesma, o resto com certeza virá por acréscimo.
Um beijo doce no seu coração e uma linda semana pra ti.

Ariana disse...

É isso mesmo, Sueli, temos mania de achar que somos felizes ao lado da pessoa que amamos, ou por causa da pessoa que temos ao nosso lado, e isso é besteira. Somos felizes se nos dermos oportunidade para tal.
Seremos completos se nos permitirmos a satisfação das coisas que nos realizam.
O resto é convívência, só convivência.
Boa reflexão!
Beijos e boa segunda pra vc.

Aninha disse...

hum.. acho que posso visualizar esse post como metade da resposta do meu jornal, né? realmente, só nós somos responsáveis pela nossa felicidade, e ponto final.

sobre o post, rs, não tem muito o que entender... ali é a letra de uma música de Adriana Calcanhotto que de certa forma abrange a avalanche de reflexões em que tenho mergulhado nos últimos dias... estou na fase de me reinventar... então primeiro vem o caos.. reverberações.. rs

Beijão.

medeiros.paulo.zip.net disse...

Ah, também gostaria muito de conhecer essa mulher. É verdade, não podemos entregar nossa felicidade nas mãos de uma outra pessoa, como diz uma amiga minha, é muita doideira.
Beijos Sueli!

claudete disse...

Já conhecia o conteudo deste e-mail e concordo que se somos infelizes é porque pensamos no outro como principal responsável e nos esquecemos que a corrente mais forte do relacionamento é o "feedeback" constante que se estabelece entre duas pessoas, ou seja, somos sempre co-autores ou co-responsaveis pelo que nos acontece. Valeu a lembrança! Olha sua sobrinha Diana mandou-lhe um grande abraço. Dependendo da data de sua vinda, ela já poderá estar aqui de volta. Beijao amiga, e... jamais deixarei de postar no Blog da Uol, a não ser que me expulsem.

Sonia Pallone disse...

Na desefreada busca à felicidade,
a gente acaba deixando de perceber que ela é um estado de espírito
e tantas vezes esteve dentro de nós sem que percebessemos...Portanto, ser feliz não existe. ESTAR feliz sim. E tão bom seria, se pudessemos esconder os momentos felizes para as horas tristes e dias de tempestades não é?...Bjs querida, adorei seu recadinho no Solidão.

Mundo paralelo disse...

Legal essa mensagem.
Gostei bastante daqui!
[:)]

Cris disse...

Concordo com você e acredito que quando a nossa felicidade passa a ser dependente de emoções alheias ela perde a essência. Belíssimo texto, Sueli....Beijo grande.

Mylla Galvão disse...

Oi Sueli,
Seu post me fez encher os olhos de lágrimas...
Já tentei ser feliz desse modo e tomei um tombaço da vida... O levantar foi lento e doloroso... Mas aprendi muito com esse tombo...
Ontem, minha mãe nos deu um susto tremendo em casa... Confesso que ainda hj estou com medo... De que? De perdê-la... Acho que não estou preparada ainda para perdê-la...
Hoje eu vivo a felicidade de outra forma... Ela vem em pequenas doses... Em pequenos momentos...
É assim que sou feliz...

Venha me visitar em Vidas Linha
http://vidaslinha.blogspot.com

Bjo grande

*K-rol* disse...

oi sueli!

acabei de cair no seu cantinho sem querer..hihi!

e gostei muito...

li esse post e eh verdade, temos que ser feliz por nos mesmos!

li o post de se sentir em casa, eh engraçado como em lugares onde vc tem pessoas queridas e ambiente agradável vc se sente em casa! que bom que no seu trabalho eh assim!

bom, provavel que eu voltee!!
parabéns!

beijos
carolzinhaa!