28 de jun de 2010

A Tristeza



Depois que aprendi a conversar com meu coração e entendê-lo, aprendi a lidar melhor com os meus sentimentos e, pasmem, descobri que não é só de felicidade que preciso. Às vezes um pouco de tristeza dá um tempero especial em minha vida. Tristeza me deixava apavorada e dela fugi durante muito tempo. De repente, percebi que ela faz parte do contexto. Não posso simplesmente ignorá-la. Tudo nesta vida tem um lado bom, por pior que pareça.

Tristeza apareceu dias atrás e resolvi recebê-la.  Meu mestre havia dito para não mais fugir e procurar ouvi-la, pois geralmente ela tem alguns recadinhos para nos dar. E assim fiz. Deixei que ela descansasse um pouquinho aqui dentro, no meu coração. Ela realmente tinha alguns recadinhos para mim e eu, atentamente, ouvi. Pensei que tivesse vindo para me castigar, mas não, ela chegou para me mostrar que ainda estou viva e que não é de indiferença que vou viver o resto dos dias de minha vida. Nunca gostei de coisas muito fáceis e quando aprendi a dominar meus sentimentos, achei que tivesse descoberto a chave da felicidade. Protegia meu coração (que não queria ser protegido) de todos os sofrimentos, achando que era dona de mim (e dele). Mas, as coisas não estavam mais tão emocionantes.

Ao receber a tristeza e ouvi-la, percebi que precisava ter feito isso em tantas outras vezes que ela veio me visitar. Ela me trouxe alguns presentes e um deles foi a inspiração. Trouxe-me também a certeza de que nunca poderei conhecer a fundo a felicidade se já não tiver convivido pelo menos um pouquinho com ela (a tristeza).

Ela ainda me disse: “Não é para assustar-te que estou aqui e nem para ver-te jogada ao chão, com vontade de morrer. Muito pelo contrário, estou aqui para mostrar-te que ainda vives, que ainda és capaz de sentir, que ainda és capaz de amar.” E disse mais: “Conheça-me um pouco antes de me mandar embora e não temais, pois sabes que não tenho mais o poder de aqui ficar desde que aprendeste a me mandar embora, além disso, dou mais sabor ao seu vinho e mais vida a sua poesia... não percebeste ainda?”.

Fui dormir pensando em tudo que Dona Tristeza me falou e resolvi aproveitar ao máximo essa visita, afinal, de que forma Chico Buarque teria conseguido escrever essa música linda que estou ouvindo, se não a tivesse em sua companhia na ocasião? ...



Sueli Benko

16 comentários:

Marilu disse...

Querida amiga Sú, fazer da tristeza sua hóspede por algum tempo, talvez até dê um tempero diferente a seus sentimentos. Mas não faça dela sua companheira, lembre-se do refrão da canção:
Tristeza não tem fim, Felicidade sim!!!
Tenha uma semana cheia de amor...Beijocas

Majoli disse...

Com você aprendo tanto minha amiga, que enxergo com novos olhos determinadas situações que tenho passado.
Com certeza, essa tal da Dona Tristeza, quando vem aqui dentro de mim, também quer me dizer algo, mas eu, teimosa como uma "mula", me descabelo, me jogo ao chão e quase morro...ah como estou errando em fazer isso...sei que sou capaz de aguentar os trancos e barrancos e me sentir viva.

Ah, como é bom ser amiga sua, você me faz crescer como ser humano, como mulher.

Beijos cheios de admiração.
Amo você querida.

claudete disse...

Su...Concordo com você...Em tudo!Se não fosse a Tristeza como perceberíamos o que nos faz Feliz? Somente não deixar que ela "faça morada " no nosso coração. Beijão, te amo!

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Olha, sempre pensei assim, como seu texto. É muito bom ganhar, mas é na tristeza, nas dificuldades, que a gente cresce mais, evolui mais. A vitória às vezes nos cega. as derrotas e a tristeza, nos ensina, nos leva à reflexão, nos mostra os verdadeiros amigos, porque essessim, estarão também nas horas difíceis e não só temporários, na alegria. Parabéns. Beijos

RICARDO garopaba BLAUTH disse...

alo AMIGA

Estou aqui respondendo o comentário que deixaste na minha postagem de hoje (29 jun 2010)"A FELICIDADE EXIGE VALENTIA" e te disser com alegria que é para isso que temos AMIGOS. Repartir, compartilhar reflexões e que cada um siga o seu destino. Lembro de que já escrevi muito tempo atrás, sobre o que abordas num texto “UM QUE DE TRISTEZA”, no qual chego às mesmas conclusões que apresentas. Parabéns à todos nós que aprendemos com o que nos acontece.

bjs
ricardo GAROPABA blauth

ricardo GAROPABA blauth disse...

alo Sueli

vi que teu comentário foi no meu texto de ontem (28 jun 2010) "CADA SER CARREGA DONS" , mas nada muda do que escrevi acima. Aproveito para deixar link do texto antigo que falei.

http://cronicasetextosrblauth.blogspot.com/search/label/UM%20QUE%20DE%20TRISTEZA

em tempo.... será que este meu engano não foi algo par fazer este novo comentário...?

ricardo GAROPABA blauth

Meri Pellens disse...

Tristeza, dor da alma...
Já imaginava isso, acredita? Temos que abraçar a dor para compreender a lição do Caminho. Não adianta se debater, pois afundaríamos na depressão e outros males. Sofrer faz parte do Caminho.

Beijos na alma!

Eliana Pessoa disse...

ADOREI VIR AQUI E SABER QUE POSSO CONVIVER ASSIM MAIS DE PERTINHO COM A TRISTEZA,POIS NESSE MOMENTO ELA É UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA!!!
BEIJO

MENEZES disse...

Eu não quero ver vc triste ! Tem concurso lá no blog! vai lá! rs

MENEZES disse...

Resposta registrada ! bjs

Sandra Botelho disse...

Poxa neste caso a tristeza foi uma grande conselheira heim amiga. Porque nos entregarmos a dor se podemos aprender com ela?
Lindo texto, como somente vc poderia sentir e escrever.
Bjos achocolatados

Sandra Botelho disse...

Ah esqueci...
Vai lá me visitar no Female.

http://femaleandfriends.blogspot.com/

Bjos achocolatados

Paulo Tamburro disse...

SUELI,

POR VEZ VEZES É DORMINDO QUE ESQUECEMOS A DOR, E NO DIA SEGUINTE, ALCANÇAMOS E RETORNAMOS A TRANQUILIDADE ANTERIOR.

EXATAMENTE, COMO AQUELA MÚSICA QUE UM DIA LHE ENVIEI:

"WHAT A DIFFERENCE A DAY MADE"...LEMBRA-SE?

UM ABRAÇÃO CARIOCA!

legalmente loira... disse...

olá amiga,
muitas vezes a tritesa é nosso encontro para a felicidade.
lindooooooo tudo aqui.
linda noite com bjos.

Geisa Machado disse...

Este texto é perfeito!
A nossa sociedade quer abolir a tristeza e por isso temos que estar felizes o tempo todo. Isto é humanamente impossível e gastamos muita energia tentando nos manter assim. Nós somos duais e por isso existe dentro de nós os dois lados: o bom e o mal. Quando descobrimos que este nosso lado mal, na realidade só quer nos manter vivos aprendemos a conviver e lidar melhor com ele.
Bjussss

Haroldo disse...

Dona Tristeza não cumpriu o seu papel, pelo menos com você...
Ao invés de torná-la amarga, adocicou-a e deu-lhe um sorriso de Monalisa, como se pode perceber em seu texto...
“-Não é para assustar-te que estou aqui e nem para ver-te jogada ao chão, com vontade de morrer. Muito pelo contrário, estou aqui para mostrar-te que ainda vives, que ainda és capaz de sentir, que ainda és capaz de amar.” E disse mais: “-Conheça-me um pouco antes de me mandar embora e não temais, pois sabes que não tenho mais o poder de aqui ficar desde que aprendeste a me mandar embora, além disso, dou mais sabor ao teu vinho e mais vida a tua poesia... não percebeste ainda?”.

E eu bem sei que ainda agora, está sorrindo!
Bjs!