20 de ago de 2009

Leve, livre, linda e solta...


“O real não está na saída nem na chegada... Ele se dispõe para a gente é no meio da travessia.”
João Guimarães Rosa

Foto: www.guioliva.com.br/caminho/fotos/foto_70.jpg


O caminho apresentava-se íngreme à minha frente.
Precipícios imensos assustavam-me.
Impossível percorrê-lo sem soltar minha bagagem
Mas eu precisava chegar lá
e era muito valiosa minha carga (pelo menos assim julgava eu)
O tempo perdido na decisão foi imenso
Era difícil seguir em frente
Impossível soltar o que era meu
Porém, o perigo se aproximava...

De repente, alguém me deu um empurrão
Quando me dei conta, já estava no caminho
Algumas tralhas haviam caído
E eu nem percebera
Se soubesse, teria me desfeito delas há mais tempo
Os obstáculos foram surgindo
Cada vez mais difíceis
A cada um deles, necessário se fazia desfazer-me de algo
E assim, fui seguindo cada vez mais leve...

A cada tralha desfeita, mudanças aconteciam
O caminhar ficava mais fácil
As dores do cansaço diminuíam
A prática em vencer obstáculos aumentava
O caminho ficava mais limpo
A paisagem se coloria
Algumas flores apareciam
Foi difícil perceber que o caminho sempre fora assim
O peso que eu carregava é que não me deixava perceber

Não é fácil cuidar de tralhas
Principalmente quando nos apegamos a elas
E eu as julgava tão importantes
Mero engano meu...
Foi tão bom descobrir que delas eu não precisava
No caminho, coisas novas e mais bonitas as substituíam
Nada me faltava, então não mais a nada eu me prendia
Agora nem tenho pressa para chegar ...
Carrego apenas experiências vividas, aprendidas
e imortalizadas.

Leve, livre, linda e solta...

...

17 comentários:

Ana Elizabete disse...

Lindo, lindo e lindo!
Estou muito emocionada aqui...
Particularmente gostei dessa parte "Foi tão bom descobrir que delas [tralhas] eu não precisava/No caminho, coisas novas e mais bonitas as substituíam"

Beijo

Aninha

Silvia Gonçalves disse...

Realmente o texto é lindo...

As vezes caminhamos durante uma vida inteira carregando em nós um fardo que não nos pertence...

Qdo nos damos conta, percebemos que não era necessário carregá-lo.... mas se descobrimos isto a tempo, tudo se transforma. Há arrependimento, claro, quem não tem?? Mas o importante é erguer a cabeça e dar a volta por cima...

Bjos e bom dia!!

AC Rangel disse...

Sueli, pouas coisas devemos manter fisicamente. É na lembrança, no coração, na alma que devemos manter as "tralhas" que amamos.
Beijo

Cláudia Oliveira disse...

oi sueli!! obrigada pela visita! vim conhecer o fenixando e temos muito em comum!! Dei uma passeada por ele e te conheci um pouco melhor! Adorei o post sobre a av. paulista!! eu também sou super urbana.... e de alma sensível!! bjos, bom final de semana!! Volte sempre!!

Drizinha disse...

Sú,

Que texto lindo e verdadeiro. Realmente carregamos tantas tralhas que nem conseguimos perceber a beleza do caminho. Eu acho, inclusive, que carregamos tralhas de outras vidas e nossa missão nessa vida é nos livrarmos de tudo isso. Pela sua espiritualidade tenho certeza que você carrega apenas o necessário para iluminar sua alma. Parabéns por ser essa pessoa tão linda por dentro e por fora. beijos

luciana_abto disse...

Nossa, muito legal!!
Realmente tudo haver c/ a nossa conversa de hoje... esta parte é fascinante:

"Foi tão bom descobrir que delas eu não precisava
No caminho, coisas novas e mais bonitas as substituíam
Nada me faltava, então não mais a nada eu me prendia"

Amei!!!

Bjs mil,gosto muito de vc!!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...idos
largos
paseos
del
aura
con
tunos
del viento
al
dar
jazmines
del
canto
siempre
rosa
al
atardecer
penas
al
abrigo
del
gorrion
aun
por
esconder
al
tener
el
pan
de tus
hermosos
versos
sueli
sueltos
aqui...


desde mis --- horas rotas---

sueli te sigo , tus poemas

nectar del campo abierto ...

con un fuerte abrazo ...


afectuosamente, sueli:



jose

ramon...

claudete disse...

Que lindo Su! Só escrevemos o que sentimos e é muito bom saber que parte da carga ou quem sabe toda bagagem avulsa foi deixada pelo caminho ... só quando nos desfazemos do dela é que abrimos passagem para o novo em nossa vida.
Beijos.

Joéliton dos Santos disse...

Olá Pessoal,
É com muita satisfação que venho para divulgar meu primeiro livro.
Entre no meu blog e confira o meu filhote.


Por favor, ajude minha divulgação. Coloque no seu blog meu livro.
Abração

JuJu disse...

E caminhar sem precisar ficar carregando para cima e para baixo uma mala pesada é muito melhor.
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Sonia Pallone disse...

Poeta é aquele que retém a inspiraçăo de um momento transitório e a torna eterna...vc é isso Sueli! Um beijo e obrigada pelo recadinho que me emocionou lá no Solidão de Alma.

Edimar Suel disse...

Jamais permita que pedras interrompam
tua caminhada:
quando chegares ao teu destino teus pés
estarão mais fortes.
Jamais permita que o desânimo te faça
desistir!!!
quando elas forem atingidas terás ânimo renovado.
Jamais permita que maledicências roubem
o teu equilíbrio emocional:
quando a Verdade furar essas nuvens negras,
tua saúde mental não terá sido abalada.
Jamais permita que discórdias te façam
perder a Fé em teus amigos:
quando chegar a calmaria não terás feito inimigos.
Jamais permita que a competição pelo sucesso
coloque em ti dúvidas quanto às tuas capacidades:
chegada a hora da colheita, colherás os benefícios
da confiança em ti mesmo.
Jamais permita que "conselhos" de
pessoas infelizes quebrem tuas convicções:
ao final estarás salva de ser infeliz também.
Jamais permita que bajulações te impeçam
de enxergar com clareza:
teus olhos postos imparcialmente nos teus feitos
te ajudarão a corrigir tuas possíveis e humanas falhas.

Graça e paz!

Edimar Suely
jesusminharocha2.zip.net

Majoli disse...

Amiga, sinto saudades de você, mas você sumiu dos meus blogs, do orkut, do msn.

Lindo demais o que você escreveu.

Beijos.

AC Rangel disse...

Sueli, esta sim é uma belíssima metáfora. Está aí colocada claramente o que é a vida. Nada mais do que este caminhar por terreno difícil, árido, cheio de obstáculos, maiores ou menores. E, para todos nós, as tralhas que insistimos em carregar. E quantas destas tralhas poderíamos ter jogado fora ao longo do caminho, facilitando o percurso...
Sempre é tempo.
Parabéns pelo texto oportuno.
Beijo.

Cris disse...

E existe coisa mais perfeita do que crescer, Sueli?...rs. Seu texto é inspirador amiga e, faz com que a gente se volte pros nossos valores mais íntimos e os reveja....Um beijo grande.

Amarísio Araújo disse...

Sueli,

Belíssima e sensata a sua reflexão em versos.
Que a travessia continue assim.

Um lindo final de semana pra você.
Beijos.

entremares disse...

Leve, livre, linda e solta...

Essa é a definição da alma.
Num mundo efémero, onde tudo é de passagem
Onde a única certeza é que nada é certo e que todos estamos de partida.

O presente é o nosso único tempo.
Seja feliz, está bem?