11 de abr de 2015

O que mais me feria foi o que me libertou


Refletindo sobre tudo que passei nos últimos anos, vejo-me obrigada a admitir que os momentos de felicidade foram inúmeros, mas foram as dores que fizeram todo esse tempo vivido ter realmente valido a pena. Precisei delas para aprender a me livrar delas. Precisei delas para descobrir a força escondida dentro de mim e para conhecer melhor as pessoas que me rodeavam. Precisei delas, enfim, para entender o quão efêmeras elas são, quando temos conhecimento disso, e que sem elas, não teríamos o contraste entre sofrimento e prazer, portanto, a felicidade não teria importância; talvez, nem a notássemos.

Refletindo mais um pouco, percebo que a natureza da dor tem algo a ver comigo. Ela também gosta de um desafio e, quando chega, encara-nos de frente. Somente um olhar duro e não menos desafiante consegue detê-la. E somente a persistência nessa "encarada" pode conseguir afastá-la. É claro que não estou falando das dores físicas, que um simples remédio pode curar, mas falo da dor do ego, esse a quem tanto valorizamos e que tanto nos deixa sofrer. Encarar uma dor é colocar o ego de castigo, é educá-lo, é saber dominá-lo e não deixar que ele nos domine. E... as dores estão aí para isso.


Um brinde de reconhecimento às minhas dores que se foram e às que provavelmente aparecerão, para que eu nunca me esqueça de valorizar e sentir plenamente a minha felicidade, que, na verdade, é a minha eterna essência, pois ela é feita de amor e o amor é o que conduz minha alma!


Sueli Benko
...

3 comentários:

Majoli disse...

Su, antes eu não sabia lidar com minhas dores, e por essa razão me perdia tanto dentro delas que era difícil um novo passo.
Agora também eu brindo a cada uma delas, pois descobri dentro de mim uma força meio que inexplicável e de todas elas só tiro ensinamentos e crescimento.
Bora ser feliz?!
Beijos minha amada amiga.

Sandra Botelho disse...

Se fosse eu que tivesse escrito, não estaria tão dentro do penso.
Perfeito amiga. Bjos achocolatados.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Sueli,
As dores fazem-nos crescer em força e qualidade ;)
Custam caro, marcam fundo corpo e alma, mas permitem que desfrutemos com outra vontade, da felicidade, quando essa chega.

bj amg