25 de fev de 2009

Trote estudantil


Primeiramente peço desculpas pela defasagem do assunto, mas eu já havia começado a preparar este post e não tive tempo de terminá-lo durante estes dias todos. Faço, no entanto, questão de deixar aqui registrada a minha revolta com essa barbárie chamada de “trote estudantil”.

Não sei se é ignorância minha, mas, por mais que eu tente entender, por mais que eu busque um pequeno motivo para que isso aconteça aos alunos, justamente no momento em que estes deveriam estar recebendo um prêmio, não consigo encontrar nada; nada que justifique a aplicação dessa pena, dessa ridícula e inconcebível brincadeira de mau gosto (pelo menos, na minha opinião).

Também não entendo porque os próprios alunos aceitam. Eu não aceitei. Recusei-me a participar e “ai” de quem me encostasse a mão! Sei lá, eles me respeitaram, não passei por essa humilhação (meu filho, também não – às custas de faltar uma ou duas semanas à aula, mas eu o aplaudi e tenho certeza que ele jamais participará de um ato bárbaro desses, nem passiva e nem ativamente).

Alguém pode me explicar ONDE ESTÁ a graça? Qual é o tipo de satisfação que se tem ao submeter um colega a essas humilhações e, muitas vezes, agressões físicas? Agressões estas que já levaram não sei quantos alunos ao hospital? Ou até mesmo à morte, como foi o caso daquele rapaz que faleceu afogado na piscina da USP, vítima de um trote estudantil, há alguns anos atrás??? Este ano chegaram ao cúmulo de jogar ácido nos corpos de alguns deles? Será que algum dia não terão a idéia de praticar roleta russa também????

Gente, que civilização é esta??? Alguém pode me explicar?

Tudo bem que resolveram criar uma lei para regularizar o trote. Já é alguma coisa. Mas, na verdade, ainda não é o suficiente, pois trote deveria ser proibido em qualquer seguimento (não, regularizado). Não entendo muito de lei, mas penso que essa “brincadeira” fere a dos direitos humanos. Ninguém pode ser obrigado a nada, nem a fazer caridade. Convidar os alunos a doar sangue, visitar doentes nos hospitais, etc. é muito digno e muito bonito, desde que seja um ato “voluntário”, mas nem isso posso aceitar que seja imposto a alguém.

Bem, pessoal, é isso aí que eu precisava botar para fora.

Sueli Benko

15 de fev de 2009

É isso que importa


A expectativa fez-me voltar no tempo,

quando eu ainda acreditava
no amor,

em você.

O saber de hoje, ignoro.

Nada me importa,

vendo meus olhos,

fico longe de mim,

não quero saber.

Você veio.

É isso que importa.


Sueli Benko

12 de fev de 2009

(um achado)


“Tenho imagens que não estão nos olhos,

mas um pouco abaixo deles.

Que não estão na mente,

mas um pouco abaixo dela.

E que também não estão no coração,

mas passeando como sangue,

por todos os tecidos da pele

ao mesmo tempo.

Plasma e oxigênio.

Ar e sufoco.”



(Elvira Schuartz)


............................................................................


Encontrei isso em algum lugar, não me lembro onde, mas sei que adorei e copiei num pedacinho de papel. Hoje, arrumando um armário, o encontrei. Vim aqui e postei.
Sueli

5 de fev de 2009

Dúvida



Se eu acreditasse na maldição da serpente, iria pensar que não foi uma maçã que ela deu a Eva, mas sim, um pacote de dúvidas (rs). Como essa danada atrapalha a vida da gente, não? Em hora de decisão importante, principalmente. Não sei se é pelo fato de ter meu ascendente em Gêmeos, mas o fato é que ela é presença constante em minha vida. Faço ou não faço? Arrisco ou não arrisco? Aceito ou não aceito? Tento ou não tento? Mudo ou não mudo? Troco ou não troco?


Quando a escolha envolve uma perda, fica bem mais difícil decidir. Trocar é fácil quando não há nada a se perder, mas quando o objeto da troca é inconstante, fica sempre a dúvida: e se o antigo se torna melhor que o novo depois da troca?


Tenho a impressão que a dúvida em demasia não é algo comum entre todas as pessoas. Mas quem sofre disso sabe do que estou falando.


Bem, eu estava na dúvida se iria postar esta besteira aqui, hoje, mas resolvi postar.


Não liguem, não, é apenas um desabafo (bobo).


Sueli Benko

3 de fev de 2009

Meme

  • Majoli me ofereceu um selo
    que vem acompanhado de um Meme
    Obrigada minha amiga!


  • As regras são as seguintes:


    1. Linkar a pessoa que lhe indicou

    2. Escrever as regras do Meme em seu blog

    3. Contar seis coisas aleatórias sobre você;

    4. Indicar mais seis pessoas, colocando seus links no final do post;

    5. Deixar a pessoa saber que foi indicada, deixando um comentário para ela;

    6. Deixar quem o indicou saber quando você publicou seu post
    ..........................

    Então, faço agora, a minha parte. Vamos lá:

    1. Estudei, quando criança, num colégio de freiras e, tendo um pai super enérgico, vocês podem imaginar a “cabecinha” aqui como era (Maria Santinha ... irgh!). Uma adolescente “puritana” e preconceituosa (Afff..).

    2. Comecei a trabalhar com 15 anos e desde o início de minha vida profissional, em todos os meus empregos, sempre trabalhei com importação e exportação, até o dia que me formei em Administração de Empresas com ênfase em Comércio Exterior. Desde então, nunca mais trabalhei nessa área ... rs

    3. Casei-me duas vezes. O primeiro casamento foi muito complicado; acho que um bom treino para saber valorizar meu segundo esposo, meu grande amor. Não vou morrer desta vez, tendo qualquer dúvida sobre ter sido amada e respeitada verdadeiramente por alguém. Mas, sou viúva há oito anos.

    4. Sou espiritualista e buscadora incansável. Busco, aprendo, vivencio e só então, acredito (ou não). Condição principal da lição para mim: coerência. Tudo isso causou grandes mudanças em minha vida. Tem dia que não me reconheço. Está sendo tudo muito rápido.

    5. Gosto muito de comida brasileira (de preferência, mineira), adoro cozinhar (feijoada é meu forte e, claro, acompanhada de uma caipirinha - de pinga), mas não dispenso uma pizza (um queijo, dois queijos, três, quatro, cinco queijos ...), sempre acompanhada de um bom vinho tinto seco (aliás, o vinho está muito presente em minha vida); adoro cinema e leio até cansar. Gosto muito também de escrever. Não sei viver sem um computador. Melhor que tudo isso, acho que só um bom papo... rs

    6. Sou mulher apaixonada, movida a amor. Prefiro amar sem ser amada do que simplesmente, não amar. E os amores, bem, hoje reconheço que sempre tive e tenho aquele que, no momento certo, mais necessitei e necessito para meu aprendizado, por isso, sou agradecida a todos.

    É isso aí.

    .............................

    Eu poderia indicar seis pessoas, mas prefiro que qualquer um de vocês, amigos blogueiros, caso sinta vontade, conte-nos em seus blogs, um pouquinho de vocês, assim como eu fiz.

    Sueli
    ..........

    1 de fev de 2009

    ... uma carta de amor


    Se hoje eu me transformasse
    em papel e palavras,

    com toda certeza eu seria
    uma doce carta de amor.

    .......

    Sueli Benko