30 de nov de 2011

Desatinos ...




Queria tanto deixar passar mais uma vez, mas agora, 
quem não deixa é a Auto Estima. 
Desde que ela cresceu e se fortificou,
 tratou de dominar o Coração e abafar sua voz. 
Coração, por sua vez, resolveu obedecer e não dificultar as coisas. 
Também quer saber se Auto Estima é boa no que faz. 
Não fosse o bocadinho de Saudade que vem fazer cócegas, 
a lembrança do último encontro 
e o saber de tua existência por perto, 
sempre, todos os dias...

... tudo estaria perfeito.

...

29 de nov de 2011

Voltei!



Gente, um dos motivos de eu ter deixado este blog, conforme expliquei abaixo, foi o aparecimento de uma janelinha chata pedindo senha, mas tão logo o abandonei, a janelinha também se foi. Hoje, fico dividida cada vez que penso em postar algo, porque eu adorava este blog aqui e também gosto do outro (Fenixando 2). Como escrevo sobre diversos temas, resolvi usar os dois e dividir os assuntos. Ainda não sei bem o que será aqui e o que será lá, mas, por enquanto, penso em escrever textos próprios aqui e lá, talvez, copiar coisas valiosas que encontro por aí. Vamos ver se dá certo. Se houver alguma alteração eu venho contar.

A verdade é que amo este cantinho aqui... então, resolvi voltar.

Voltar é bom quando se volta para algo nosso. Assim como tantas outras coisas em nossa vida que, apesar das partidas e dos “nunca mais”, na essência continua sendo nosso. O superficial vai embora, mas a essência fica. A essência de uma grande amizade, por exemplo. Muitas vezes deixamos que nosso ego fale mais alto e ele nos força a partir. Mas a essência daquele sentimento, se forte e verdadeiro, sobreviverá. Por isso nunca digo que “dessa água não mais vou beber”.

Muitas pessoas ficam presas a palavras ditas em hora de raiva e de precipitação. Aí, o orgulho fala mais alto e não conseguem voltar atrás, mesmo querendo. Penso que não seja bom fazer promessas, mas penso que seja pior ainda não ter condições de cumpri-las e se sentir na “obrigação” de fazê-lo. 

Nada como se dar o direito de mudar de idéia, não é mesmo? Desde que reconheci que tenho esse direito, digo: “Não cobrem minhas promessas. Prometo para o momento, mas se tudo muda, minha opinião também pode mudar.” Não faço mais juramentos, pois não conheço o futuro (e nem quero conhecer). E não conhecendo o futuro, já estaria mentindo de antemão.

Bem, se alguém discorda de mim, pode escrever aí... rs.

Um abração!

Sueli

...