21 de fev de 2010

Minhas vidas

Folhas ao Vento - D. Guerras

Seria a vida terrena somente a transposição de um tempo desde o dia que se nasce até o dia que se morre? Pensando aqui com meus botões, cheguei à conclusão que não. Eu, pelo menos, desde que nasci, com toda certeza deste mundo posso afirmar que já tive mais que uma vida.
Haverá alguém a dizer que estou confundindo as coisas, que a pessoa muda mesmo, que é natural, e pode-se, então, ter a impressão que a vida também mudou. Não! Não é o meu caso, com certeza!

Minhas vidas, dentro desta encarnação, foram tão diferentes umas das outras, que não tenho como compará-las nem acreditar que tenham sido uma só. Fui uma pessoa diferente em cada uma delas, como se realmente fossem diversas encarnações. As pessoas que fizeram parte delas, com exceção de algumas, foram diferentes, os locais onde vivi em cada uma delas, muitas vezes, foram diferentes, meus sentimentos, gostos, conceitos, interesses, valores e tantas outras coisas mais, salvas algumas tendências, foram diferentes também. Já fui boba, já fui esperta, já fui submissa, já fui autoritária, já chutei o pau da barraca, já deixei prá lá, já passei fome, já vivi na abundância, Já comi caviar e também casca de batata, já amei e fui correspondida, já amei e não fui correspondida, já fui católica, ubandista, seicho-ho-iê, espírita e espiritualista, já acreditei em Deus, já duvidei de Deus, já conheci o céu e já conheci o inferno.

E minha aparência física? Ah... não poderia ter ficado de fora. Quantas eu tive? Não sei. Perdi a conta. Chego a não ter lembranças nítidas de algumas delas. Já fui gorda, já fui magra, já fui normal, já adorei meu corpo, já o odiei também.

Alguém, com certeza, irá dizer “Isso é falta de personalidade...”. Certamente, em algumas de minhas vidas eu iria ofender-me com tal comentário e partir para uma discussão, na tentativa de provar a todo custo que a pessoa estava enganada ao meu respeito. Sim, eu já vivi vida em que precisava provar para alguém o que e como eu era e não admitia que pensassem o contrário. Já bradei muitas vezes (e com muito orgulho, na época) que não levava desaforo pra casa. Quanta besteira...

Mas, minhas vidas têm algo em comum: nunca foram constituídas de apenas “um dia após o outro”. Foram tantos os eventos, revezes, dramas e comédias, picos de lágrimas e alegrias, de frustrações e realizações, que nunca poderei me queixar de tédio.

Ainda estou em minhas reflexões, tentando classificar a todas elas. Nem sei se isso tem importância, talvez seja apenas uma tola curiosidade, pois na verdade, a que realmente me interessa é a atual. Mas, por enquanto, pelo menos já cheguei à conclusão de que tive uma vida dirigida pela mente, outra pelo espírito e agora, acho que estou começando a experimentar a vida regida pela alma... E estou gostando disso...

Sueli Benko

...

13 comentários:

Sonia Pallone disse...

Boa tarde querida. Aqui os textos têm vida e os sentimentos fluem, à flor da pele...Bj grande.

claudete disse...

Minha querida o momento que vivemos exige de nós inúmeras possibilidades a respeito de tudo. Uma coisa ,creio ,somos singulares com facetas de pluralidade de "vivências" que não necessariamente significariam que somos "várias" em uma só pessoa...Na melhor das hipóteses estas manifestações diversificadas caracterizariam a exteriorização de nossas emoções e impulsos contidos ante situações provocativas. Poderiam estar ligadas à nossa memória genética..por que não? Ser regido pela nossa alma é uma opção de escolha segura e madura. Somos seres de luz em busca da perfeição enquanto no planeta Terra, logo sujeitos a tudo que nos cerca . Como sempre seus textos nos levam a contextualizar e refletir. Parabens amiga por passar das palavras à ação e incitar-nos a fazer o mesmo.
Beijos.

ricardo GAROPABA blauth disse...

alo AMIGA

dia a dia
caminhando
sempre em frente

Majoli disse...

Que maravilha de texto, chega a invadir a alma da gente.

Você é especial no teu jeito de se descrever, de dizer de suas vidas.

E esse finalzinho da vida dirigida pela mente, pelo espírito e agora a experiência dela ser dirigida pela alma....também quero aprender isso.

Amei.

Beijos com carinho e saudades.
Obrigada por ir ao Rabiscos....essa sua amiga aqui é pidona, mas é que eu amo você e senti sua falta...rs.

Olavo disse...

nem sei quem hj dirigi minha vida..qual lado..
mas..vivendo
Beijos

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Claro que não.Senão nada valeria a pena.Nossa escola,nosso trabalho,nossos amores, nossos recomeços,nossas dores, a vida com nossos parentes e amigos.Enfim a vida é uma mágica linda.Árduas, mas linda.Façamos valer a pena sempre

Aline Amaral disse...

Quanto tempo não passo aqui.
Muito bom!

beijo

Maria disse...

Sueli

passando para desejar um bom fim de semana.
Vida + Vida...= a VIDA


:)) Beijj com muito carinho

JuJu disse...

Minha cara, só posso dizer que... concordo plenamente com você!
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Fernando Antonio Pereira disse...

Esse é o desafio da vida. Conviver com incerteza e jamais saber de onde viemos e para onde vamos. Mas uma coisa é certa. Fora da caridade não se alcança a luz.
Abraços.

Franz disse...

Oi, Sueli. Conheci seu blog no tempo do saudoso "Vou de Coletivo", e gostei daquela postagem sobre o novo palavrao "vossa excelência"-lembra?. Desde então queria fazer uma posatgem no meu blog sobre tua proposta. Hoje fiz. passe lá e confira.
Ah! Vc. sabe de algum novo grupo de blogagem coletiva? Se souber me manda, OK?
Abraços dessa Belém calorenta e chuvosa
Franz

Sueli disse...

Franz, tomara que você volte aqui, porque não estou conseguindo entrar no seu link. Está com algum problema. Não consigo acessar seu blog para ver seu post e eu gostaria muito, pois lembro-me muito bem do "vossa Excelência" e, infelizmente, não conheço outro blog de postagem coletiva... Abração! Sueli

Juliêta Barbosa disse...

Sueli,

Enquanto o mistério de outras encarnações não é elucidado, que possamos nessa vida fazer o bem sem olhar a quem... E que a nossa alma seja o nosso guia. Bjs